A operatividade da psicanálise vivida por Enrique José Pichon-Rivière 2ª edição

R$45,00

REF: 1001

Descrição

Breve resenha:

Enrique José Pichon-Rivière (1907-1977) nasceu em Genebra, Suiça, e aos três anos de idade imigrou com a família para a Argentina. Pioneiro da psicanálise na América Latina, foi um dos fundadores da Associação Psicanalítica Argentina e criou a psicologia social operativa e a técnica dos grupos operativos. Junto com Arminda Aberastury (1910-1972), sua primeira esposa, contribuiu para a divulgação das teorias de Melanie Klein (1882-1960). Amigo pessoal de Lacan (1901-1980), sem nunca ter sido lacaniano, foi, no entanto, o responsável pela introdução de seu pensamento na Argentina. Teve uma vida rica de aventuras e acontecimentos significativos para a história da psicanálise e da psiquiatria. Sua influência teórica e prática clinica, embora muitas vezes silenciada, é indispensável para a compreensão do pensamento psicanalítico no nosso continente. De um modo abarcativo, este livro acompanha o percurso da vida de Pichon-Rivière e, ao mesmo tempo, recupera os contextos históricos dentro dos quais eles ocorreram. Registra de forma curiosa sua figura poética, bem humorada, galhofeira, boêmia, de amante do tango e do jazz, assim como os eventos trágicos que marcaram sua existência. Há um capítulo dedicado ao encontro de Pichon com o surrealismo, destacando a figura de seu precursor, o Conde de Lautréamont, o franco-uruguaio Isidore Ducasse (1846-1870). O livro tem prólogo de Horácio Etchegoyen e Prefácio de René Kaëz , além de três anexos com testemunhos de Salomón Resnik, Samuel Arbiser e entrevista com Maurício Knobel.

Extrato do Prólogo de R. Horácio Etchegoyen

Nada é mais difícil do que escrever uma biografia. Necessita-se de informação, cultura e perspectiva; mas, também, e aqui está o principal obstáculo, há que ter entusiasmo e objetividade, duas virtudes que, por definição, não caminham juntas. Sem entusiasmo, o biógrafo não pode se meter dentro do personagem; sem objetividade, perde a distância e não atina como sair de onde se meteu. O problema se complica ainda mais se o estudo se refere a alguém que é, ao mesmo tempo, brilhante, sedutor e criativo, além de contraditório e surpreendente, como Enrique Pichon-Rivière. O livro que estou comentando resolve este dilema com uma grande solvência. Mostra-se como a obra alcançada por dois reconhecidos especialistas em psicologia social. Os autores souberam recolher os dados dispersos de uma vida rica e complicada e os expõem equanimemente, sempre no marco do contexto social e político em que tiveram lugar, com cuidadoso equilíbrio. Uma tese principal deste livro é sustentar consistentemente a dialética entre o protagonista e seu meio histórico-social. Na verdade o cumprem de forma acabada.

Extrato do Prefácio de René Kaës

Para um europeu, para um francês muito particularmente, o aparecimento de uma obra biográfica sobre Enrique Pichon-Rivière é um acontecimento que deve ser aclamado, por mais de um título. Em primeiro lugar, em razão da qualidade da obra de M. A. Fernandez Velloso e M. Melo Meireles, em seguida, porque sua tradução para a língua espanhola abre aos leitores de seu próprio país o (re) conhecimento de um de seus grandes criadores e, enfim, porque Pichon-Rivière é cada vez mais conhecido na França, graças, notadamente, à tradução recente de uma grande parte de sua obra.
A aparição desta biografia é, para mim, a ocasião de retomar as relações entre o pensamento de Pichon-Rivière com o pensamento europeu e mais particularmente com certas correntes do pensamento francês. A questão me foi colocada diversas vezes quando de minhas viagens à Argentina, ao Uruguai e ao Brasil.
Há pouco tempo, colegas de Montevidéu me perguntavam se, no quadro da psicanálise das configurações de vínculo, existe um pensamento rioplatense específico e distinto do pensamento francês. Respondi-lhes que, se cada uma delas é marcada por histórias distintas e por contextos culturais diferentes, parecia-me difícil considerar sem nuances uma corrente de pensamento homogênea no interior destes dois “aires”.

 

Informação adicional

Peso 0.700 kg
Dimensões 21 x 15 x 2.5 cm